Reflexões mudas

Eis o que disse à Maria João,
– que é minha tia –
assim de repente,
bebendo muita aguardente
por causa do frio que fazia:
Estou bem assim, não sinto solidão.
Quem está só é a minha poesia.
A velha senhora, então,
olhou pra mim, pousou o pente
e disse: – Não há quem te aguente!
Pára de dizer asneiras!
Parei, pra não haver chatices.
Esta velha, quando se arrelia,
não é pra brincadeiras.
Retirei-me e fui tomar banho.
Antes, porém, sentei-me na pia.
Com humildade e sem peneiras
escrevi isto, enquanto a Musa ria.
É assim, já não estranho.
Coitada da minha poesia!

No passado, muitos, bem melhores do que tu e eu,
criaram o que poderá suavizar, hoje, a nossa vida.
A cura de que te falo, à porta deles não bateu;
do Sol a tiraram, ao verem a Inveja desabrida.
Antes que seja tarde, repara como ela cresceu!
O Porvir aguarda que a dita seja removida.
Sim! Mas não o peças ao Céu!
Contenta-te com o que é teu.

A revolta pode parecer uma ideia louca e desusada,
no contexto pasmado em que agora vivemos.
Vacilando, não se afugenta o que nos enfada!
Calando a impulso e a vontade, amolecemos.
Dormitando, aguardamos por uma vida desnatada.
Está velho e temos de deitar fora? Claro que temos!

Manhã, tarde ou noite, que importa?
Oceano, riacho ou rio, não interessa.
Durante a vida vale o que te transporta,
o que te dá o que o medo sempre corta
e o que sustenta o Amor que a ti regressa.

Levantaste-te mais um vez, agora,
para reaprenderes o que esqueceste.
Anjos te assistiram, hora após hora;
Santos gostaram do que fizeste!

O ódio só te dá aridez. A secura é o grave
estado de um viver pesado, seco e sisudo.
Depõe esse Amigo do Vazio e usa a chave
da alma que acalenta o frio. E isso é tudo!

É estranho que uma Alta Dama
de longe fale ao meu ouvido
(num tom leve e bem medido)
quando o meu ser se esquece
da Luz que Dela emana.
Dela ouvi que a Vida, que me ama,
com Fios de Ouro me tece.
E concluiu murmurando:
Quem te ama sempre aparece!

Quem porá uma mão limpa nesta Folia?
Quando acabará este Grosso Desatino?
Quem conhecerá um diferente dia a dia?
O Homem, mesmo torto, teima em fazer o pino!

A Ciência, bem longe de saber tudo,
monta a redes das suas verdades,
anotando o que vê por um canudo.
A Terra porém gera outras realidades.

Renovar ideias sempre foi uma boa forma
de espreitar, com um olhar diferente,
o que julgamos que sempre foi de certa forma.
Ficar na mesma, não é de gente decente!

Sabes tu o que é fundamental,
para chegarmos Aonde temos de ir?
Não regar as dores que brotam no quintal.
Regando-as, toldamos o sentir.

Na escola pouco se diz sobre os dotes
dos que viveram há já muitos anos.
Falo-te dos altos sacerdotes,
que hoje dizemos que só disseram dichotes,
reprovados por Deus e seus Arcanos.

Podemos despir já esta suja e rota capa,
dando ouvidos àquilo que com a Luz cria.
Vazando os olhos à Bússola e queimando o Mapa,
vibraremos todos ao som de uma Nova Cantoria.
O que nos salva é o que, ao chegar, esvazia!


Recordas-te do que nunca quiseste usar,
só porque pensaste que não servia pra nada?
Desiste de ser assim. Sabes o que podes tentar?
Rir!… Depois, escorraça essa índole embaciada,
dominando os dons da tua alma reencarnada.