Ego Barulhento

Visando o DMD
(Declínio Mundial da Demência)
um Ego-Barulhento conversa com o Sábio-Que-Fala-Baixinho.
Ele bem quer deixar de ser como é, mas não sabe como fazer.

 

Diálogo 1

Como poderei eu vir a gostar
do teu trabalho, que a outros tanto ensina?
Ouve-me e silencia. Serás como aquele luar
que brilha até durante o dia, porque a paz descortina.

Vendo como o repouso te alivia, serás parceiro,
dia a dia, desta Voz que te propõe outro Roteiro!


Diálogo 2

Evita usar os outros com base naquele amor
que te empurra para quem só é desejado.
Quê?… Queres privar-me do sexo?… Que horror!
Que ganhas tu com o sémen despejado?
Há muito devias saber que tal atividade
só empresta prazer; não dá nada. Muito menos felicidade!


Diálogo 3

Eu adoro o meu ego, mas tu dizes que me esfria...
Esfria porque o olhar dele acirra os teus irmãos.
Usando esses olhos, não vejo o que me atrofia?
Não! Só vês o Vazio que descarna as tuas mãos.
Oxalá esta Voz cure essa cegueira velha
para veres que é verde a esmeralda que ainda está vermelha!