Balança

22/23 de Setembro — 22/23 de Outubro


Previsões da insigne astróloga Rafaela Baldaia



Neste vídeo, aprecia o “Cartaz Balança” e ouve explicações sobre o texto.
Encomenda-o aqui (apenas 5€), para ti ou para ofereceres.


Se preferes levar a coisa um pouco mais longe, dispõe das minhas
consultas de astrologia humanista



Vénus (cujo símbolo enquadra este parágrafo) é o regente comum deste 7º signo, do elemento Ar, que introduz o Outono, Rege, também, Touro, do
elemento Terra. Por, juntamente com Mercúrio, ser um planeta interior (órbita entre o Sol e a Terra), a sua colocação por signo é um pouco diferente dos planetas exteriores. Assim, a mitológica Deusa do Amor só pode estar: 1) no signo do Sol; 2) nos dois signos anteriores; 3) nos dois signos posteriores. Quer isto dizer que, para os “Balança”, Vénus ou está em Balança/7, ou nos dois signos anteriores (Virgem/6 ou Leão/5) ou nos dois signos seguintes (Escorpião/8 ou Sagitário/9). Esta circunstância é válida para qualquer outro signo. Este vídeo explica a situação. É claro que não é indiferente Vénus estar aqui ou ali. Se queres saber em que signo está a “tua” Vénus, envia-me um e-mail com a data, a hora (de 00:01 a 23:59) e o local de nascimento.

Conhece a função esotérica de Balança na
página 8 deste ficheiro

Os meus livros de temática astrológica
Na “Crónica da Incrível História do Patinho”,
o herói do capítulo 7 é o Patinho Sensato.

Fernando Pessoa – que sabia muito de astrologia – levantou os mapas de nascimento dos seus principais heterónimos e até criou um – Raphael Baldaya – para a sua faceta astrológica. Nos doze poemas do capítulo central do seu livro Mensagem, intitulado “Mar Português”, codificou os doze signos do zodíaco, embora fale das grandes figuras dos Descobrimentos. E fê-lo de uma forma tão genial que nem os próprios astrólogos, ao longo do tempo, se aperceberam. O 7º poema deste conjunto é dedicado a este signo outonal, símbolo nas parcerias de todos os géneros. Repara nas primeiras três palavras:

OCIDENTE

Com duas mãos – o Acto e o Destino –
Desvendámos. No mesmo gesto, ao céu
Uma ergue o facho trémulo e divino
E a outra afasta o véu.

Fosse a hora que haver ou a que havia
A mão que ao Ocidente o véu rasgou,
Foi alma a Ciência e Corpo a Ousadia
Da mão que desvendou.

Fosse Acaso, ou Vontade, ou Temporal
A mão que ergueu o facho que luziu,
Foi Deus a alma e o corpo Portugal
Da mão que o conduziu.

Para ficares a saber como é que Fernando Pessoa “escondeu” o signo Balança neste poema (entre outras coisas), baixa o PDF do livro:
A Astrologia em ‘Mar Português’.
Apenas €5. Depois, consulta a página 38.

O compositor virginiano Gustav Holst (Inglaterra, 21.09.1874 — 25.05.1934 ) compôs uma suíte sinfónica chamada Os Planetas, na qual descreve a sua simbologia astrológica. No caso de Vénus – A Mensageira da Paz, repara como a música reflete a doçura venusiana.

Para aprofundar a compreensão do arquétipo Balança.

Eu sou o Diplomata Cortês. De onde estou colocado na Roda da Vida conto cinco passos, cinco degraus, cinco gomos, cinco etapas, para atingir o fim aparente, o lugar onde tudo recomeça: o oceano sem barreiras, onde, segundo dizem, o processo se iniciou, e onde tudo se dissolve, Através dele continuará a penetrar a luz, para que a matéria se fecunde e o ciclo se renove.

Com a ajuda da minha colaboradora (que os mortais ainda hoje apreciam numa estátua mutilada), sou quem introduz o Romance, a Beleza, quem ama, canta e dança, mas também quem julga e impõe a ordem, já que a tendência é para a busca do equilíbrio possível, como acontece, por exemplo, entre o dia e a noite na data em que, durante cerca de 30 dias, os seres terrenos nascem sob os meus auspícios. O sol vai brilhando durante o dia; depois, descendendo, toca no horizonte e afunda-se, “escondendo-se”.

Eu represento essa ponto em que se concentra a noção fundamental de que cada ser não está isolado da existência do seu complemento. Esta ideia básica não só preside ao tópico do relacionamento, como indica que, a partir de mim, a individualidade deve “esconder-se”, para que a evolução seja possível e mais uma passagem pela Terra não se perca. Eu sou o sétimo que julga e acasala.

Como soa o Cântico a Balança?
Texto do “Cartaz Balança” referido no topo da página



Se gostaste do conteúdo desta página,
peço-te que a partilhes usando os meios ao teu alcance.

Muito obrigado.